Fabriciano - Foi um sucesso o lançamento do projeto cultural “Biblioteca do Max - Hora da Leitura”, que visa incentivar a leitura e compartilhar conhecimentos. Dezenas de pessoas, entre crianças e adultos, participaram do evento na tarde do último sábado (28), na praça José Maximiano Sousa, no Centro de Fabriciano.

 

Trata-se de uma biblioteca móvel, num formato de livro, com mais de cem exemplares de literatura de propriedade do pequeno Max das Colinas Barbosa Martins, uma criança de sete anos que resolveu criar um projeto para que outras crianças também pudessem ler os seus livros.

 

Além dos escritores Oswaldina Oliveira (Vavá) e Kleyson Barbosa, que participaram com contação de história e bate-papo sobre memes, também prestigiaram o lançamento da “Biblioteca do Max” o produtor cultural Éderson Caldas e João Batista Eugênio, do projeto Contos Legais, e os escritores Manoel Roberto Souto e Wilson Carlos Roberto.

 

“A ‘Biblioteca do Max’ foi uma ideia do próprio Max que toda a família adorou e estamos dando todo incentivo”, disse a mãe dele, a professora Kênia Barbosa, principal apoiadora do projeto. Ela aproveitou para agradecer todos pela presença no lançamento e aos parceiros, apoiadores e aos que doaram novos livros. “Foi uma ótima tarde! Que venham outras!”.

 

E já tem outras agendas em vista. O projeto recebeu convites para expor e participar de ações no Dia dos Pais mês que vem numa escola pública e também no projeto Empreendedorismo Infantil, ambos em Ipatinga, e ainda na instituição Crianças do Mundo no bairro dos Professores e com os moradores do bairro Belvedere, em Fabriciano.

 

Segundo a mãe do Max, uma vez por ano a família tem o hábito de doar os brinquedos que o filho não está brincando mais. “Ano passado, quando estávamos separando os brinquedos, ele olhou os seus livros e disse que não queria doa-los. O Max é um amante dos livros, adora ler e tem prazer com a leitura. Passados alguns dias ele me disse que tinha tido uma ideia: ‘vou descer com eles para a portaria, aí outras crianças podem ler meus livros também’. Assim surgiu a ideia!”, explicou.

 

Arquiteta por profissão, ela se animou com a ideia e desenhou um móvel volante para ele descer com os livros até a portaria e para a pracinha em frente ao prédio que moram. E o sonho virou realidade no último sábado. Agora é leva-lo adiante. Para tanto, já contam com o apoio e incentivo de outros segmentos culturais. E estão pensando numa programação bacana para o mês das Crianças, em outubro.

 

O projeto “Biblioteca do Max” está sendo divulgado nas redes sociais e no Instagram @bibliotecadomax. Mais informações: WhatsApp 98863-5361 / 98863-6253.



Autor:Divulgação