O evento, apresentado pelo radialista Jéferson Rocha, foi uma das atrações do Som de Minas, projeto musical realizado pela  Criativo Produções, patrocinado pela Cenibra, via Lei Federal de Incentivo à Cultura e apoio da Prefeitura de Bom Jesus. O Som de Minas tem como objetivo “formar público, ouvintes, conhecedores de gêneros musicais pouco difundidos na cidade, além de promover momentos de alegria para a população”, segundo explica o gestor cultural da iniciativa, Bruno Minafra, que conta com o apoio institucional da ABA.

O grupo de chorinho, Choro do Vale, abriu a programação no sábado. O show foi seguido pela apresentação do grupo Nós de Minas, interpretando composições históricas do Clube da Esquina e de outros projetos genuinamente mineiros.

O Encontro de Bandas trouxe em sua programação a apresentação de seis corporações musicais das cidades de Governador Valadares, do Rio Doce, de Santa Cruz do Escalvado, de Coronel Fabriciano, de Engenheiro Caldas e Jaguaraçu.

Segundo Bruno Minafra, Bom Jesus do Galho foi escolhida para receber o projeto por sua vocação musical. “Identificamos o potencial da cidade por seu histórico de serestas, serenatas, bailes e dos mais de 100 músicos bonjesuenses catalogados por um grupo ligado à cultura local”, sublinhou.

Esse número de músicos, segundo José Nunes, poderia ser mais que triplicado, se levados em conta períodos que antecedem o considerado, a partir da década de 50. “Já chegamos a ter duas bandas de música na cidade que concorriam entre si, pela qualidade, pelo repertório”, conta o maestro de 86 anos, que foi homenageado pelo Som de Minas durante o Encontro representando todos os musicitas do município.

Ainda segundo José Nunes, tão importante quanto formar os músicos é motivá-los a transmitir seus conhecimentos para outras pessoas. “Tenho vários alunos que ensinam música e já estão formando novos instrumentistas, como é o caso do Cléber Conrado, que nos presenteou com a apresentação dos seus alunos flautistas”, sublinhou.

Dez dos 40 alunos de Cléber, residentes em Passa Dez, distrito de Bom Jesus do Galho, abriram o evento na noite de sábado. “A música mudou a vida do lugar. Rotineiramente, ouvimos as flautas de jovens e crianças soar no distrito, onde são conhecidas obras de Bach, de Beethoven e de outros compositores clássicos”, comentou Sônia Júlia, mentora do projeto musical e diretora da escola onde surgiu a iniciativa.



Autor:Divulgação